Sem aval de Dorival Júnior, zagueiro encostado no Peixe foi indicado por garçom de Buenos Aires

O Santos tem em seu elenco um jogador contratado após recomendações feitas ao empresário Luiz Taveira por garçons e taxistas de Buenos Aires: o zagueiro Fabián Noguera. O próprio agente, que é o braço direito do presidente Modesto Roma Júnior, confirma a história.

O caso veio à tona recentemente. Num áudio de WhatsApp que tem circulado entre conselheiros e sócios influentes do Santos, Taveira revela ter ido a Buenos Aires atrás da contratação do também zagueiro Oliver Benítez, na época do Gimnasia Y Esgrima (hoje no Tigre).

Chegando à capital argentina, porém, Taveira descobriu duas coisas:

  • Benítez era muito caro (avaliado em US$ 2 milhões);
  • Noguera seria melhor, segundo garçons e taxistas com quem o empresário conversou, e mais barato;

Sim, Taveira admite, no áudio, que levou em consideração as recomendações dos cidadãos argentinos com quem falou durante sua estadia em Buenos Aires, no ano passado. O empresário diz ter viajado cinco vezes para a Argentina, nas quais viu dois treinos coletivos do atleta e o avaliou como seguro. O clube fez acordo com o atleta em fevereiro, mas ele cumpriu o resto do vínculo com o Banfield e foi apresentado em julho.

Taveira, inclusive, soltou nota oficial confirmando a história e criticando santistas que vêm desdenhando dele por conta do caso:

– Após tantas ligações de repórteres sobre o áudio referente ao Noguera, estou esclarecendo à imprensa, pois este áudio chegou através dos grupos de Whatsapp de pessoas do Santos FC.

– Inclusive, vou participar de alguns programas para realmente esclarecer que um garçom, um motorista de táxi, um porteiro de hotel, um jornaleiro, são pessoas que para alguns santistas não entendem de futebol, que não podem dar palpites em futebol porque são pessoas à margem da sociedade e que suas opiniões não são válidas no quesito futebol, pois são anômalos nesta questão, que infelizmente para alguns santistas dos grupos de Whatsapp ligados à política, os comparam a pessoas sem entendimento do esporte.

– E que como garçons, motoristas, porteiros, eles devem se ater a suas profissões e não darem palpites sobre jogadores, pois com isto viram párias da sociedade. É isto que já estou falando e é isto que estou vendo em pessoas covardes que não têm coragem de darem as caras e falarem. Fui eu e eu acho isso mesmo. São moscas varejeiras e hienas travestidas de santistas – escreveu Taveira, em nota.

A reportagem procurou o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, mas ele não foi localizado até a publicação deste artigo.

Em quase um ano de Santos, Noguera tem nove jogos (dois gols) pelo clube. O argentino raramente é escalado por Dorival Júnior, vindo atrás de Lucas Verissimo, Cleber Reis e David Braz, além da dupla lesionada Gustavo Henrique e Luiz Felipe. Quando falta zagueiro (por lesão ou suspensão), Dorival prefere até improvisar um volante no setor (Yuri) a escalar Noguera.

No áudio que tem circulado no WhatsApp, Taveira confirma que a contratação de Noguera não tem o aval de Dorival Júnior.

Leia abaixo a íntegra do que diz Taveira no áudio que circula nos grupos de WhatsApp para explicar aos sócios o processo da contratação do zagueiro.

– Fui para contratar o Benitez, zagueiro canhoto. Cheguei à Argentina e pediram 2 milhões de dólares. Fiquei mais dois dias e fui com o jogador almoçar. No restaurante, entrei e ninguém o conhecia. Dei um tempo, levantei e falei com o garçom. Perguntei se conhecia o jogador. Disse que não. Perguntei quem era bom. Ele falou: “fulano, ciclano e o menino do Banfield, o Noguera”, que inclusive foi indicado pelo procurador do Ricardo Oliveira, o Augusto Castro.

– Está brigado com o Banfield e tem propostas. Eu fui para a Argentina cinco vezes. Em todas eu perguntava para taxista, jornaleiro e todos falavam do Noguera. Vi dois coletivos dele. Achei ele seguro, firme. O futebol argentino é diferente, mais pegado. Achei bom e era muito mais barato que o Benitez.

– Na realidade não houve um comunicado direto ao Dorival. Essa é a realidade. Comuniquei ao Dagoberto (dos Santos, gerente de futebol), entendeu? Em uma das reuniões o Conforti (vice-presidente) estava junto. Então, depois de cinco vezes, dois meses indo para a Argentina, optou-se por fazer a contratação do Nogueira. Passaporte europeu, 23 anos, 1,93m, um jogador de boa estatura. E o Oliver Benitez ninguém… aí comecei a perguntar mais do Benitez e ninguém recomendou. Mas todos falavam o nome de um zagueiro do Boca, do Estudiantes e o nome do Noguera.

– Então, foi assim. Vi dois coletivos e gostei. Indiquei. Disse: “Olha, é mais barato, entendeu, porque é com ele que tem de acertar. E tem passaporte europeu. Acho que pode dar certo”. Mas na realidade não foi um pedido do treinador. Levei até uma bronca por causa disso do treinador. Mas tinha comunicado à diretoria, à presidência e no fim ele está aí. Mas vou me encarregar, vou levá-lo à Europa no meio do ano, nessa janela, se Deus quiser. E o Santos vai conseguir ter lucro com ele.

Fonte: Globo Esporte